Capas: Sobre Rhergai e Refém da Noite

Já faz algum tempo que falei que queria fazer alguns posts de antes e depois das minhas capas, mas nunca arrumava tempo. Então, bora fazer o tempo aparecer na marra aqui.

Para começar: Refém da Noite e Sobre Rhergai. Eu sei que falo demais, mas vamos lá.

Bom, eu sou uma das capistas da Magic Design Editorial, apesar de já ter algum tempo que estou trabalhando só com as clientes fixas (senão não tenho tempo para escrever). Faço minhas próprias capas desde que comecei a publicar (e isso é um caso extremo de vivendo e aprendendo, mas falo mais disso quando sair a segunda edição de uns certos livros aí) e tenho umas ideias beeeeem chatinhas sobre o que é uma boa capa ou não. Então vou aproveitar o post para falar um pouco sobre isso também.

(Dessa vez vai ser pouco mesmo, eu juro. Versão resumida. Se alguém quiser a versão completa, eu gravei uma palestra para o Congresso Nacional de Escrita Criativa falando sobre isso e eles disponibilizaram no youtube.)

A primeira coisa que eu penso quando começo a fazer uma capa é no gênero do livro. Por mais que a gente fale que não julga o livro pela capa, a gente julga. Não adianta tentar negar. Mesmo que a capa não seja responsável pela sua decisão final de comprar ou não o livro, ela é a primeira coisa que vai te chamar a atenção. Se você entra numa livraria, seja física ou online, na grande maioria das vezes é a capa que vai fazer você decidir se vai olhar mais sobre o livro ou não. A questão é: o que faz você parar para pegar/clicar em um livro?

De forma geral, nós olhamos as capas já procurando alguma coisa que "tenha a nossa cara". Aquela capa que você vai bater o olho e falar "opa, isso parece ser interessante". E é aí que entra a questão do gênero do livro. Cada gênero (e sub gênero e por aí vai) já tem sua "identidade visual". Se você parar para prestar atenção, vai notar uma coleção de clichês em capas. Aqueles elementos que sempre estão nas capas de determinado gênero. A função deles é justamente essa: prender o olho de quem gosta de ler esses gêneros.

No caso dos dois livros desse post, tenho um romance sci-fi e um romance paranormal/fantasia urbana (eu tento me decidir mas a história não deixa). E, no caso do romance sci-fi, uma série. E série para mim tem que ter um estilo visual que deixe isso bem claro. Nada de cada capa de um jeito.

Quando eu comecei a pensar na capa de Kernos eu estava completamente perdida. Até tinha comentado com uma amiga que tem mão excelente para capas de romance que ia pedir para ela fazer. No fim das contas, acabei indo para o que sempre me salva: bora fazer aquela lista enorme de capas do gênero. Já falei que sou chata, não é? Pois então, aqui no Brasil o pessoal não tem muito o costume de prestar atenção nisso na hora de fazer a capa. Não sei se é opção das editoras, dos capistas ou dos autores, mas o fato é que a maioria das capas feitas aqui não segue essa lógica. E para melhorar, eu não conhecia ninguém mais escrevendo romance com ETs, então fui para a Amazon em inglês.

Ok, beleza. Vou ser feliz (apesar de que as betas não me deixaram ser feliz nas cores e brilhos - ainda bem, porque agora que estou acertando a mão pro tipo de efeito que queria fazer). Mas foi aí que nasceu a "base" das capas de Filhos do Acordo: casal, músculos, cores e uma base que vai se manter igual ao longo da série.

Escolhi fazer o antes e depois justamente de Sobre Rhergai porque foi uma das capas que mais me deu trabalho para editar. Dois aliens, uma modelo que não se encaixa na descrição da protagonista... Paciência.

AD-SR1

Essa é a capa com a foto sem edição, do jeito que comprei no banco de imagens. Para quem acha que fazer capa é moleza, imagina só cortar essa imagem. Cabelos. Gente, cabelos são o pior pesadelo na hora de cortar. E depois disso, ainda vem toda a edição: um alien laranja, um alien azul, uma protagonista que definitivamente não é branquela assim e ainda por cima é morena. Óbvio que a pior parte foi a mulher, porque tive que escurecer pele e cabelo sem ficar gritante que foi editado.

Quando fiz a capa de Kernos, passei horas brigando com os efeitos para conseguir mexer no tom de pele e fazer todos os detalhes que queria. Umas tantas capas depois, eu já nem demoro tanto mais, mas continua sendo trabalhoso fazer uma edição que vai ficar ao menos minimamente realista. Tudo bem que eles são coloridos, mas... Acho que deu para entender o que eu quis dizer.

AD-SR2

Já Refém da Noite... Quando eu comecei a pensar na capa, queria algo ilustrado, porque a protagonista é ilustradora. Ia encaixar direitinho e tals... Só que não. Voltei lá na questão do gênero do livro. Fantasia urbana e romance paranormal são gêneros que não costumam ter capas ilustradas. Quando têm, são aquelas ilustrações que você tem quase certeza que é foto editada, mas na verdade é pintura usando foto de referência. E não era isso que eu estava pensando quando imaginei uma ilustração, então deixei a ideia para lá.

Ou seja: de volta para as capas com foto. Eu sabia mais ou menos que estética queria usar, pelo menos, e já sabia que não importava que imagem eu usasse, tinha que enfiar uma lua cheia em algum lugar. Estava procurando imagens para a capa de uma cliente quando bati um olho em uma foto que encaixava perfeitamente, e pronto, é ela.

Dessa vez, eu consigo mostrar o processo um pouco mais detalhado:

AD-RDN1
AD-RDN2
AD-RDN3
AD-RDN4

E o que foi nessa capa? Primeiro, acrescentar a lua e mais alguns detalhes no fundo da imagem (tem uma árvore estranha com uns passarinhos pousados toda escondida no meio da neblina na foto original), dar uma base de cor. Depois, dei a louca e fui ser feliz nas cores mesmo. Por último, efeitos e detalhes de luz. E falando assim nem parece que tive que quebrar cabeça um tanto com ela, mas no fim das contas se resume a isso xD Pelo menos não tive que mexer em cor de pele haha

E eu acho que é "só" isso mesmo, dessa vez. Estou com mais uns posts planejados aqui, não só de antes e depois de capas, vamos ver se consigo soltar eles.

Ah, o pessoal que tinha pedido o antes e depois de Nilue: vou tentar fazer, mas tenho que parar e revirar arquivos aqui, porque o notebook que eu usava quando fiz a capa morreu e perdi a maioria dos arquivos originais. Se eu conseguir recuperar as coisas, faço o antes e depois.

1 Comentário

  1. Yume Vy disse:

    Suas capas são, definitivamente, lindas! E é muito legal ver o antes e depois da capa, porque como você disse, parece fácil falar, mas na hora de fazer… Ah, a coisa sempre complica! XD Mas você arrasou com as capas de Sobre Rhergai e Refém da Noite! <3 Preciso muito ler as duas histórias, mas cadê tempo? T_T Vou ter que deixar pra ler o físico mesmo de ambas as histórias.

    Achei muito interessante o que você disse sobre, no exterior, existir um estilo de capa para cada gênero. Isso faz sentido pra mim. o.o Terei que fazer mais pesquisa sobre isso também… XD

    Obrigada por compartilhar conosco as etapas de edição das suas capas. E… Posta mais! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *