Melhores de 2017

Antes tarde do que nunca :v

Eu estava aqui indo fazer o primeiro post da série sobre escrita, mas fiquei cozinhando que não tinha conseguido fazer o post de melhores do ano em dezembro… Então vamos lá é agora mesmo.

2017, até agora, foi o ano que menos li. Foram muitas releituras e poucas coisas novas. Aliás, até as releituras foram poucas, comparadas com o meu normal. Vamos ver se melhoro isso esse ano. Várias séries que acompanho tiveram continuações, e umas tantas eu não li até hoje. Outras me fizeram surtar loucamente depois de alguns anos de espera. Abandonei séries que tinha adorado até então e acabei descobrindo séries novas… E vou parar de tagarelice e ir direto para a lista.

Acho que essa foi a lista mais fácil de fazer – pouca coisa para escolher e estava fácil de lembrar o nível de surto.

Sinopses traduzidas rapidinho aqui, como sempre, exceto a de Wildfire, que preferi não postar, já que a série está sendo lançada aqui.

 

5. Gaslight Hades (The Bonekeeper Chronicles #1)

Nathaniel Gordon caminha entre dois mundos: o dos vivos e dos mortos. Com pouco de humano, ganhou a reputação de um Bonekeeper, o flagelo dos ladrões de túmulos. Ele acredita que sua vida antiga acabou, até que um enterro sombrio ele encontra a mulher que amou uma vez e com quem quase se casou.

Lenore Kenward está no túmulo de seu pai, implorando pela proteção do guardião misterioso, sem saber que ele é seu amor perdido. Decidido a manter sua distância, Nathaniel é forçado a abandonar seu plano e acompanhar Lenore em uma viagem à boca do Inferno, onde o mar encontra o céu, e as abominações que existem além da barreira esperam para destruí-los.

 

Eu conheci o trabalho da Grace Draven através das indicações da Ilona, no blog dela. Ou seja, desde o começo já esperava algo excelente. Nem foi surpresa quando ela foi para a minha lista de “saiu coisa nova, comprar”. Nem olho a sinopse dos livros dela mais – só pego.
Grace Draven escreve romances de fantasia – normalmente alta fantasia, mas essa série é gaslamp. Os mundos dela são maravilhosos e os casais também. Nada de casal tradicional ou daquela mesma história de sempre. Mas, ao mesmo tempo, os romances dela tem aquela coisa “aconchegante”, que te segura e não te deixa largar. Gaslight Hades é um que eu já estava ouvindo falar há tempos e estava louca pra ler, só pelo título. Não tinha visto capa nem sinopse. Mas quando vi essa capa, então… Nossa. Expectativas nas alturas. E expectativas atingidas com sucesso. Só sei de uma coisa: quero o livro 2 dessa série. E, se alguém estiver procurando um bom romance para ler, pode pegar qualquer um dela sem medo.

 

4. Binti (Binti #1)

Seu nome é Binti e ela é a primeira do povo Himba a receber a oferta de uma vaga na Universidade de Oomza, a melhor instituição de ensino superior na galáxia. Mas aceitar a oferta significará desistir de seu lugar em sua família para viajar entre as estrelas, entre estranhos que não compartilham seus caminhos nem respeitam seus costumes.

O conhecimento vem a um custo, um que Binti está disposta a pagar, mas sua jornada não será fácil. O mundo no qual ela deseja entrar há muito guerreia com os Meduse, uma raça alienígena que se tornou um pesadelo. A Universidade de Oomza prejudicou os Meduse, e a viagem estelar de Binti a levará ao seu alcance mortal.

Se Binti espera sobreviver ao legado de uma guerra que não é sua, ela precisará dos dons de seu povo e da sabedoria consagrada na própria Universidade – mas primeiro ela tem que chegar até lá, viva.

 

Um caso clássico de “por que demorei tanto para ler?”. Binti é uma garota que vem de uma tribo extremamente tradicionalista. Eles têm suas crenças, seus costumes, e não abrem mão deles de forma alguma, ainda que essas crenças e costumes estejam interligadas com a tecnologia que faz parte da vida deles. E, quando ela decide ir para a Universidade, ela está deixando para trás tudo o que conheceu a vida toda, porque não sabe nem mesmo se vai conseguir voltar. O mundo dessa história é uma coisa maravilhosa. Paraíso para o pessoal de exatas, aliás, porque a autora tratou a matemática como, em livros de fantasia, é tratado um bom sistema de magia. Pra mim, pensar na matemática toda como magia funcionou lindamente, porque definitivamente não sou de exatas. A tecnologia em si, com direito a naves espaciais que são seres vivos, os Meduse, a história da guerra e como tudo se desenrola… É fantástico, e olha que de forma geral não tenho paciência para ler coisas juvenis.
Binti é uma trilogia de novelas e a última foi lançada esse mês. A Galera Record está com os direitos para lançar aqui e o que vi é que deve sair antes de junho. Super recomendo.

 

3. The Black Witch (The Black Witch Chronicles #1)

Uma nova Bruxa Negra se erguerá… Seus poderes vastos além de qualquer imaginação.

Elloren Gardner é a neta da última Bruxa Negra profetizada, Carnissa Gardner, que afastou as forças inimigas e salvou o povo Gardneriano durante a Guerra do Reino. Mas enquanto ela é a imagem perfeita de sua avó famosa, Elloren é totalmente desprovida de poder em uma sociedade que preza a habilidade mágica acima de todo o resto.

Quando ela recebe a oportunidade de seguir seu sonho de ser uma apotecária, Elloren junta-se aos seus irmãos na prestigiosa Universidade Verpax para abraçar um destino próprio, livre da sombra do legado de sua avó. Mas ela logo percebe que a universidade, que admite todo tipo de pessoas – incluindo os Icarals manejadores de fogo, inimigos jurados de todos os Gardnerianos – é um lugar traiçoeiro para a neta da Bruxa Negra.

À medida que o mal aparece no horizonte e a pressão para viver de acordo com sua herança cresce, tudo o que Elloren pensou que sabia vai ser desafiado e destroçado. Sua melhor esperança de sobrevivência pode estar entre o grupo mais improvável de desajustados… Se ela apenas puder encontrar a coragem para confiar naqueles a quem ela foi ensinada a odiar e temer.

 

Esse livro… Nossa. A melhor surpresa do ano, com certeza. Esse livro foi um tiro no escuro depois que eu abandonei o livro 3 de uma série que até então estava adorando e fui revirar o Goodreads na frustração. Melhor coisa que eu podia ter feito. Não vou falar muito aqui porque o surto foi tanto que fiz resenha. Está aqui.

 

2. Etched in Bone (The Others #5)

Depois que um levante humano foi brutalmente destruído pelos Anciãos – uma forma primitiva e letal dos Outros – as poucas cidades deixadas sob controle humano estão distantes. E as pessoas nelas agora sabem que devem temer a terra-sem-homens além de suas fronteiras – e a escuridão…

À medida que algumas comunidades se esforçam para reconstruir, o Pátio de Lakeside emergiu relativamente ileso, embora Simon Wolfgard, seu líder lobo, e a profeta de sangue Meg Corbyn precisem trabalhar com a matilha humana para manter a paz frágil. Mas todos os seus esforços são ameaçados quando o irmão desonesto do tenente Montgomery chega, querendo fazer o que bem entender e se aproveitar dos outros.

Com os humanos na defensiva contra um deles, as tensões se elevam, chamando a atenção dos Anciãos, que estão curiosos sobre o efeito que um predador tão insignificante pode ter em uma matilha. Mas Meg conhece os perigos, pois viu nas cartas como tudo acabará – com ela parada ao lado de um túmulo.

 

A felicidade da minha vida foi abrir a Amazon uns meses atrás e ver que ia ter mais livros nesse mundo, mesmo que não com Meg&Simon.
Bom, Etched in Bone é o último da série. Se o livro 4 já me deixou sem ar, o 5 me deixou completamente surtada. Foi um livro que eu tinha que realmente parar a leitura no meio do caminho e ir berrar com alguém, porque não estava conseguindo lidar. Simplesmente não estava. E esse livro serviu para confirmar o que eu já falava há muuuuito tempo: Meg&Simon são um dos melhores casais que eu já li na vida – e isso tudo sem, em nenhum momento, ser explicitamente romântico. Eu amei essa construção, mesmo que de tempos em tempos ainda entre em discussões com quem fala que essa série não tem romance (não é minha culpa se só conseguem ver o romance descarado esfregado nas fuças!). E, bom, que venha Lake Silence e quantos mais livros a autora quiser fazer nesse mundo, porque preciso de mais.

 

1. Wildfire (Hidden Legacy #3)

Sinopse do livro 1, Burn With Me (Magia Explosiva) por motivo de spoilers na sinopse de Wildfire

Nevada Baylor enfrenta o caso mais desafiador de sua carreira como detetive particular: uma missão potencialmente mortal para apreender um suspeito em situação volátil. Seu alvo é um Superior, o grau mais elevado de usuário de magia, que pode botar fogo em qualquer pessoa ou coisa. No entanto, Baylor não é a única no encalço desse perigoso indivíduo… Lançada à perseguição, Baylor é sequestrada por Connor “Louco” Rogan – um obscuro e tentador bilionário com poderes igualmente devastadores. Dividida entre seu desejo de fuga e o de se render a essa atração arrebatadora, ela precisará juntar forças com Rogan para permanecer viva, depositando sua confiança em um homem desconhecido e perigoso, que desperta nela um desejo ainda mais arriscado. Rogan, por sua vez, precisa da detetive para alcançar seu alvo – o Superior pirocinético Adam Pierce. Mas, para que ambos atinjam seu objetivo, precisarão enfrentar uma rede de interesses, família poderosas e armadilhas mortíferas. Louco Rogan e Nevada Baylor precisarão, para tanto, fazer concessões e aprender que o amor pode ser tão arriscado quanto a morte – especialmente em um mundo permeado de seres e de circunstâncias mágicas.

 

Certo. Quem me ouviu no whatsapp no dia do lançamento sabe exatamente meu nível de surto com esse livro. Até agora o último da série Hidden Legacy, os livros 2 e 3 foram lançados ano passado, com um intervalo de dois meses, depois de anos de espera. Literalmente. A essa altura, eu já sabia o livro 1 de cor, já tinha revirado o blog trocentas mil vezes atrás de trechos novos e… Pois é, surto total. E quando isso acontece, é fácil demais o livro não corresponder à expectativa criada. Obviamente, não foi o caso. Wildfire não só correspondeu às expectativas quanto foi além. Os personagens, e dinâmica entre eles, os conflitos… Tenho que me segurar senão vira surto de fangirl aqui de novo e já faz meio ano que eu li ele. Não vou falar muito porque realmente não consigo, mas é minha intenção reler a série e resenhar esse ano, aí venho com mais detalhes. Mas pra quem estava em dúvida sobre comprar ou não o primeiro livro dessa série (eu sei, capa tensa, preço não muito amigo por motivos de diagramação desnecessariamente espaçosa… eu sei): vale a pena demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *